loader image

Cascatas do Gerês

Poços Verdes do Sobroso (7 Lagoas)

Dez quilómetros marcam a distância entre a aldeia de Fafião e a aldeia de Xertelo, ambas em Cabril, a partir desta aldeia inicia-se um esplendoroso trilho de aproximadamente quarenta e cinco minutos através de uma levada de água com paisagens luxuriantes onde predominam as paredes graníticas de um vale bem afunilado do rio Cabril, podem ser observadas pelo caminho várias aves rapinas como o cavalo autóctone da região, o garrano entre gado doméstico que é pastado nos prados que compõem as arribas abundantes em urze, carqueja e giestas. A viagem termina num conjunto de lagoas que descem através do vale, formando um dos locais mais belos do Parque Nacional, conhecidas tradicionalmente pelos Poços Verdes do Sobroso e turisticamentepelas 7 Lagoas, uma presa na suaextremidade vai libertando a água que circula em pequenas cascatas alimentando os maisde dez poços ao longo do rio. Uma visita imperativa nas estações do Outono e Primavera,tendo maior destaque e afluência durante a estação do Verão onde convida a serões bempassados dentro das suas cristalinas águas

Cascata do Arado

A Cascata do Arado fica situada a apenas oito quilómetros da Aldeia de Fafião, um pouco afastada do centro da Aldeia da Ermida, no cimo do mesmo rio que engloba a Fecha de Barjas e ai termina o seu ciclo fundindo-se com o rio Fafião. Falamos do Rio Arado, muito usado para fazer curtos e longos percursos de Canyoning, o desporto quase oficial do Parque Nacional. A espectacularidade da cascata atinge o seu ponto alto durante o final de inverno, inicio de primavera, é uma cascata com mais de quarenta metros, que se visualiza de um miradouro frontal, e também uma das mais cobiçadas do região. Por baixo de uma escadaria, via de acesso à cascata, encontra-se uma bela antiga ponte onde o rio corre bem mais lento e no verão costuma formar fabulosos charcos de água translucido que convidam a refrescantes banhos. Fazem parte ainda dos locais próximos da cascata omiradouro das rocas, a fecha da truta e a fecha do Pombeiro, sendo estas ultimas cascatasquase obrigatório a requisição de um guia local face ao nivel de dificuldade de acesso.

Cascata de Pincães

A aproximadamente cinco minutos do centro de Fafião, chegamos a outra magnifica aldeia, Pincães, também ela integrada nas quinze aldeias de Cabril, a cascata fica depois a apenas quinze minutos a pede um local de estacionamento, por um trilho maravilhoso parcialmente ladeado pelo sistema de rega associado a esta cascata. O ponto diferencial da Cascata de Pincães, é que ao contrário de todas as outras, dentro da Serra do Gerês, há uma ascensão ao seu sopé. A cascata, afunilada num estreito vale de arribas graníticas escarpadas tem cerca de cinquenta metros de altura e caí numa deliciosa lagoa de aguas límpidas, um excelente local para banhos.

Cascata Cela Cavalos

Havia uma lenda dos anos oitenta que associava Dulce Pontes a esta cascata, por se ter enamorado por um dos residentes da freguesia de Cabril, e aqui teriam vivido o romantismo de idos tempos, esta imponente cascata é ladeada por ruínas de moinhos de água, o que dá ainda maior riqueza paisagística ao local. Situada a cerca de quinze quilómetros de Fafião, a aldeia de Lapela, dentro da freguesia de Cabril, é uma das mais típicas e ancestrais, consta que foi nesta aldeia que nasceu João Rodrigues Cabrilho, um navegador que fez parte da história dos descobrimentos espanhóis, descobrindo a costa leste dos Estados Unidos, San Diego, California ao serviço de Hernán Cortés. A partir de Lapela e através de um trilho ladeado pelo Cávado a meia encosta aces a Cela Cavalos numa caminhada de vinte minutos

Fecha de Barjas / Cascatas do Tahiti

Na vizinha Ermida, aldeia do Parque Nacional da Peneda-Gerês, esta é para muitos, a mais bela cascata de toda esta região, a partir de Fafião, são apenas sete a oito minutos que separam as acomodações do paraíso de água. Os rios mais notáveis em cascatas e lagoas são o Cabril, o Fafião, o Conho e o Arado, esta cascata e as suas cristalinas lagoas encontram-se neste último, e por incrível que pareça, à face da estrada. O nome Fecha é associado a um conjunto de cascatas no norte de Portugal, por isso o seu nome. A designação errónea de Tahiti surgiu após a antiga publicidade ao shampoo da marca Palmolive com esse nome, e cujo video promocional que passou nas televisões dos anos 80 e 90 foi lá filmado. Como em todos os locais do Parque Nacional é preciso todo o cuidado, o acesso a algumas lagoas da Fecha de Barjas faz-se através de escorregadias rochas, o que aconselhamos que a visita seja feita com calçado apropriado de montanha, o acesso à parte mais interessante faz-se através de um trilho que ladeia a ponte do rio, e demora entre cinco a oito minutos a percorrer, aqui o principal lanço da cascata cai sobre os granitos formando uma outra mais curta que abre numa lagoa cristalina rodeada por uma espécie de praia fluvial de areia grossa e algumas árvores autóctones. Aconselhamos a sua visitação na estação da Primavera onde a força das águas impera e é menos concorrida ou então no Verão, porque é das mais convidativas a banhos e mergulho